Arquivo para ilha do retiro

Avante, Guerreiros da Ilha!

Posted in sport, sport club do recife with tags , , , , , on dezembro 29, 2009 by Lule

Se os resultados da equipe de futebol não tornam o momento mais oportuno para elevar a quantidade de sócios, a necessidade de captar recursos para investir em contratações sustenta o apelo da diretoria do Sport.


Sílvio Guimarães negou especulações em torno da contratação de reforços e tentou manter foco na campanha. Foto: Helder Tavares/DP/D.A Press – 28/12/09

Ontem, o presidente leonino, Sílvio Guimarães, apresentou as diretrizes da campanha de sócio-torcedor e previu dobrar o quadro social do clube em dois meses. A nova modalidade de associados é intitulada “Guerreiros da Ilha” – após votação realizada por internautas – e quer chegar aos 15 mil rubro-negros com mensalidades quitadas, durante o Estadual, para aliviar os prejuízos da alta inadimplência, livrar-se de especulações – a exemplo de nomes ventilados nos bastidores, como os dos atacantes Schwenck (Figueirense), Vítor Simões (Botafogo) e Alessandro (Atlético-MG) – e atender aos clamores por concretização de reforços.

Guimarães listou as vantagens previstas para o sócio-torcedor ao estipular os preços para as partidas do Leão na Ilha do Retiro. “O associado paga 50% do valor do ingresso. Para os jogos intermediários, pretendemos cobrar R$ 20 e R$ 10. Para os clássicos, os preços aumentam para R$ 30 e R$ 15, mas o sócio pode pagar os mesmos R$ 10, caso compre o bilhete de forma antecipada”, explicou, antes de esmiuçar outras garantias. “O ‘Guerreiro da Ilha’ vai ter lugar reservado no estádio, descontos na loja do Sport e em outros estabelecimentos credenciados e direito de participar de sorteios. Os mil primeiros inscritos ainda recebem uma camisa alusiva à campanha”.

A mensalidade custa R$ 25 e o cadastro pode ser feito na sede do clube – ou via internet, a partir do próximo dia 20 de janeiro, quando o site deve ser inaugurado. A modalidade de associado se restringe ao futebol. Ou seja, diferente dos sócios Patrimonial (R$ 30 mensais + R$ 2 mil do título patrimonial) e Contribuinte (R$ 40), o sócio-torcedor não pode usufruir das dependências da sede do clube e não tem direito de votar ou concorrer a cargos eletivos.

O clube conta, atualmente, com pouco mais de sete mil sócios com situação regularizada, entre patrimoniais e contribuintes, dentro de um banco de dados com mais de cem mil pessoas registradas. Em relação aos proprietários de cadeiras e camarotes, o vice-presidente financeiro do Sport, Ney Castelo Branco, ressalta a vantagem de saírem da inadimplência até o final deste ano. “Como a mensalidade acompanha o valor do salário mínimo, e o mesmo aumenta de R$ 465 para R$ 510 no dia 1º de janeiro, é mais barato acelerar a quitação do débito”, afirmou.

…..

MATÉRIA PUBLICADA NO DIARIO DE PERNAMBUCO DE HOJE (29/12)

http://www.diariodepernambuco.com.br/2009/12/29/esportes5_0.asp

Anúncios

Da série “Desabafos de um torcedor do Sport”

Posted in sport, sport club do recife with tags , , , , , on agosto 21, 2009 by Lule

Torce,

não sei realmente o que aconeteceu com o nosso time, mas está tudo cheirando a segundona. Tive a oportunidade de assistir alguns jogos do Sport pela internet. Entre eles atuações bisonhas como a contra o Avaí, Fluminense e o Nautiminho. O pior mesmo foi ver o Sport empatar com a Barbie dentro da ilha. Naquele momento pensei, a coisa está realmente rosa!!! Realmente, o que se vê é um time sem nenhum tesão e sem garra. Os jogadores estão de putaria. A diretoria precisa tomar urgentemente uma atitude e afastar ou até mesmo negociar jogadores que não estejam mais afim de jogar. Hamilton, por exemplo, não sei como continua no time. A cada dois jogos uma expulsão. Desde a Libertadores que aquele filho da puta vem fazendo essas merdas. Bem, sei o tamanho da indignação de cada um de nós, mas vocês não têm idéia do quanto gostaria de estar na Ilha para apoiar e ver nosso time jogar. Talvez a minha ausência e a de nossa excelentíssima juíza Vanessa Patriota tenha quebrado a corrente da Torce.

Vamos lá galera, não vamos desacreditar, enquanto houver chance temos que brigar, xingar, berrar e apoiar. Próximo domingo queria ver a ilha lotada como no tempo da Copa do Brasil, porque na libertadores a diretoria conseguiu afastar o que tem de mais precioso nesse time…

Abraços a todos de um rubro-negro envergonhado com a postura do seu time

Paulinho

Viva Pedro, filho do nosso fotógrafo!

Posted in sport, sport club do recife with tags , , , , , , , on junho 19, 2009 by Lule

Rubro-negros,

Leo Caldas é o autor das várias fotos da TORCE que aparecem neste blog. Podem conferir uma delas aí embaixo. É um craque nas imagens e, dizem os companheiros de pelada, um craque no campo.
É casado com Roberta, outra grande rubro-negra, e pai de Pedro e Mariana. Já vi a família em ação na Ilha do Retiro. Os pequenos sabem bem que “a vida a gente vive pra vencer, SPORT, SPORT, uma razão para viver”.
Pois aproveito a manhã da sexta para publicar um texto que um outro torcedor do Leão, Fred Figueiroa, escreveu. É sobre Pedro, o filho de Leo e Roberta.
Assim como Pedro, confesso que fiquei ligada no jogo do Palmeiras, na última terça-feira. Falando com minha irmã pelo telefone (ela mora em Sampa), pedi pra ela ligar a TV e monitorar o resultado. Ficamos na linha por 12 minutos. O Palmeiras quase fez um gol. Achei que tinha feito e fiquei puta. Nina me acalmou: “Foi quase, pô”.
Quando já estava no carro com Cat, ela mandou uma mensagem para avisar que o time daquele treinador arrogante havia sido desclassificado. Abri a janela e gritei, olhando para o céu, o mesmo que eu havia visto naquela noite em que a injustiça nos tomou a Libertadores: “VAI TOMAR NO C…, PALMEIRAS!”. E desejei o mesmo para todos os tricolores e alvirrubros que secaram o Glorioso da Praça da Bandeira.
Fui à forra.
Com aqueles gritos no carro, e com a certeza de que a justiça tarda, mas não falha, me senti em paz.
Por isso, reproduzo aqui o texto que descreve como Pedro festejou a eliminação do Palmeiras.
Bom fim de semana a todos e vamos QUEBRAR o Santo André.
Lule

…………………………………..

Pedro x o outro time (texto de Fred Figueiroa)

Pedro tem 6 anos de idade.

Bem naquela fase da vida em que, de repente, se descobre que um jogo de futebol – até mesmo aquele em que termina 0 x 0 – é muito mais emocionante do que os desenhos animados.

Naquela fase em que começamos a achar que são os jogadores e não os super-heróis que têm superpoderes. E descobrimos que dar um drible no zagueiro e marcar um gol decisivo é muito mais difícil do que voar, disparar raio lazer dos olhos e salvar o mundo.

E se existe uma forma mágica de se fazer essa transformação, de deixarmos de ser criança para nos tornarmos torcedores, é indo para a Ilha do Retiro.

Foi assim que Pedro descobriu o futebol de verdade. Não o dos videogames, da televisão, da pelada com os coleguinhas no colégio.

E sim, o futebol que prende os olhos, a cabeça e o coração. O futebol que não se joga. O futebol que se sente. O da alegria inexplicável. Da euforia incontida. O que não termina em 90 minutos. O que nunca termina, na verdade.

E esse mesmo futebol também é capaz de nos fazer chorar. Mesmo que todas as coisas importantes da nossa vida estejam em seu devido lugar…o futebol pode vir e atropelar tudo com sua impiedosa imprevisibilidade.

Dia desses, Pedro ganhou camisa, calção e meião do Sport. Vestiu-se até a alma. Acordou ansioso. Queria saber se faltava muito tempo para chegar a hora do jogo. E como faltava! Seria um daqueles dias intermináveis. Na escola, contou com orgulho que naquela noite iria para a Ilha do Retiro. E foi. E se emocionou. E viu o time arrasador pressionar o adversário do início ao fim. Viu aquelas bolas que iriam entrar, de repente, sair. Bater na perna, nas mãos do goleiro. E viu, enfim, o seu time fazer o gol na hora mais importante. E viu, como sempre, o seu time ganhar. Mas daquela vez, era preciso ganhar duas vezes na mesma noite.

E só ganhamos uma.

Faz mais de um mês que a Libertadores acabou para o Sport, certo? Errado.

Na verdade, a Libertadores só acabou mesmo para nós na noite de ontem. Longe da Ilha. Longe até dos nossos olhos. No estádio Centenário de Montevidéu, o Palmeiras foi traído pelo seu principal jogador: a sorte. Sorte que decidiu a classificação aos 40 e tantos minutos no estádio David Arellano, em Santiago do Chile, silenciando 45 mil torcedores do Colo Colo. Sorte que decidiu a segunda classificação na disputa por pênaltis na Ilha do Retiro, silenciando mais de 35 mil rubro-negros.

Entre eles, Pedro. Entre eles, eu. Entre eles, você.

E depois de semanas e semanas vendo as televisões repetirem a cena do goleiro Marcos defendendo o pênalti de Dutra e saindo correndo para comemorar, foi lindo vê-lo desesperado, correndo para a área adversária tentar o cabeceio, ou se ajoelhando na grama e colocando as mãos na cabeça a cada gol perdido…E, no final, a imagem que ficou para a história: O goleiro palmeirense estirado no gramado do Centenário. Imóvel. Triste. Inconsolável. Eliminado. Sentindo o que sentimos.

Foi como se tivéssemos voltado no tempo. Empatado aquela decisão nos pênaltis.

Não ganhamos, nem perdemos. Apenas sentimos que se corrigiu uma distorção do destino. Que se fez justiça.

Por isso, ontem à noite, quando o pai do menino Pedro chegou em casa do trabalho. Assim que abriu a porta, viu o filho correr e dizer: “Pai, o Palmeiras caiu da Libertadores!”.

É quase como nos desenhos animados que Pedro inda assiste. Pode não ter havido final feliz dessa vez, mas pelo menos, o “mal” também não venceu.

Mais ou menos neste mesmo momento, o goleiro Marcos dava uma entrevista no vestiário do Centenário dizendo que seria mais justo ter sido eliminado pelo Sport.

Seria mesmo, Marcos.

Nós sempre soubemos disso.

Então, agora acho que é hora de dizer que acabou. Que, enfim, “passou”. Podemos até dizer que a dor virou lição. E, se quisermos, usar a matemática para provar “por A + B” que o Sport foi melhor que o Palmeiras na Libertadores. Eles jogaram 10 partidas, fizeram 15 pontos. Nós jogamos apenas oito jogos e fizemos 16.

A grande diferença é que nós sabíamos que o Sport poderia ter ido mais longe nesta Libertadores.

E os torcedores do Palmeiras sabem que foram até o limite. Ou, na verdade, um pouco além.

Sobre o menino Pedro, personagem deste texto, ele fará aniversário nos próximos dias. O local escolhido era o game station. Mas ontem ele pediu a mãe para trocar. Quer fazer num campo de futebol society.

A mãe, então, perguntou: “Vai ser o time de Pedro contra que time?”

E ele, de imediato: “Não mãe. Eu quero que seja Sport e Palmeiras”.

É, pelo visto, esta rivalidade ainda está começando…
………………..

Do blog do rubro-negro Pedro Lazera:
http://colunas.globoesporte.com/pedrolazera

Parabéns a um grande rubro-negro!

Posted in sport, sport club do recife with tags , , , , , , on junho 16, 2009 by Lule
Foto do site Meu Sport (www.meusport.com)

Foto do site Meu Sport (www.meusport.com)

Hoje é aniversário do escritor, dramaturgo, professor e torcedor do Sport Ariano Suassuna. Ele é paraibano, mas há muito adotou Pernambuco, em especial o Recife, como lugar para viver. E há muito professa seu amor pelas cores vermelho e preto.
Curto Ariano porque ele é um torcedor sem pantim. Ou melhor, com pantim igual ao da gente. Gosta de usar seu traje eSPORTe fino, vai ao estádio, se emociona, tira onda – com elegância e sapiência – com os rivais… Não é um torcedor que se encastela na sua celebridade (claro que podemos considerá-la uma), mas um fiel admirador do Sport que vai até a Ilha do Retiro para incentivar nosso time e lá se comporta como qualquer um de nós. Sim, ele é mais velho (se não me engano, completa 82 anos hoje), porém mantém acesa, e vibrante, a chama do amor pelo Glorioso da Praça da Bandeira.
Feliz aniversário, Ariano.
Que o Leão reencontre o caminho das vitórias e reassuma seu posto de liderança no Brasil.
Pense num presente que seria maravilhoso para você e ótimo para a nação rubro-negra!
Para todos: aproveito para publicar aqui o texto que ele escreveu há um mês, quando fomos eliminados da Libertadores.
Que sirva de exemplo para os jogadores e para nós.
Saudações rubro-negras a todos,
pelo SPORT tudo.
Lule

…………………………..

Chora e chora bastante.
Não o choro dos derrotados, não por isso!
Chora pelo urro dos vencidos, que até o último instante acreditava!
Chora aquela lágrima de ‘quero mais’ e a de vingança que não tarda, com a certeza de que não mais vinte anos separará a glória!
Chora pela certeza de que a vitória irá se repetir e não parecerá tão anacrônico, tão inesperado, tão louco.
Chora de pena pelos companheiros de supostos grandes times pernambucanos, que mais se animam em nossa derrota que na vitória deles, mas que riem para esconder a inveja de sentir o sabor do sonho que vivemos.
Chora de alegria por uma bela campanha.
Chora pela certeza de volta.
Chora por ter colocado o nome do time nos noticiários internacionais, no olho do furacão.
Por ter ido mais longe, contra árbitros, contra emissoras e contra babacas que preferem torcer para times do sul.
Enfim, sorri, ao saber que em breve a bandeira rubro-negra voltará a erguer taças, flamulando no alto de sua imponência, certa e constante, como o orgulho dos que torcem…

(Ariano Suassuna, 12 de maio de 2009)

Varanda…

Posted in sport, sport club do recife with tags , , , , , , , on junho 12, 2009 by Lule

No Varanda...Esta foto foi tirada no dia 4 de março de 2009, a primeira ida oficial da TORCE ao Varanda. 
Estávamos todos ansiosos antes da partida contra a LDU. Vencemos de 2 x 0, golaço de Daniel Paulista e um de pênalti de Paulo Baier (jogador preferido de Igor). 
Vamos manter a tradição de ir ao Varanda?
Tem até música, né, Bolo?
Saudações rubro-negras a todos e bom fim de semana.

Uma brava ilha gaúcha, no recife?

Posted in sport club do recife with tags , , , , , , , on julho 8, 2008 by originaldosample

amigos, por expressar uma opinião pessoal, minha, resolvi tirar o post sobre o movimento brava ilha da página principal da torce e colocar na página RUGIDO DO LEÃO que será utilizada por mim para colocar críticas e elogios sobre assuntos relacionados a ilha do retiro.

abs